Convite divino.

Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” – Mateus 11.28

 

É bom receber um convite. Pode ser para um café, um churrasco ou mesmo para uma conversa entre amigos. Receber um convite nos dá a sensação de que somos especiais para alguém que quer nossa presença e aceita o que temos para oferecer.  Nestes tempos de isolamento social até mesmo um convite atrelado à chegada da vacina ou para um encontro no próximo ano está valendo… 

O convite que Jesus fez também é especial: é para aqueles a quem ele quer se revelar e revelar o Pai (v.27). Além de especial, o convite é abrangente. Não era restrito aos discípulos, nem mesmo reduzido ao povo judeu, pois a referência às cidades de Corazim, Betsaida e Cafarnaum apontam para os gentios (v.21). Não importa se muitos estavam destinados a um severo juízo, mas sim o fato de que existiam pessoas cansadas e oprimidas que precisavam do auxílio divino. 

Outra característica do convite de Jesus é a sua pessoalidade. Não era para uma reunião religiosa, nem tampouco para uma assembléia para decidir sobre o destino da cidade. Jesus convida para irem ter com ele, para se encontrarem com ele, para o conhecerem e para estreitarem seus laços com ele. Cristo é o ponto de encontro entre o homem pecador e o Deus Pai todo poderoso. Como mediador, ele chama a responsabilidade para si como o único caminho possível e viável para chegar-se a Deus (ninguém vem ao Pai… Jo 14.6). 

A qualificação do convite aponta para as pessoas que estão cansadas e sobrecarregadas; refere-se a todos aqueles que se encontram esgotados, exauridos física-mental e emocionalmente, e que desejam receber alívio aos seus sofrimentos; esta promessa de alívio é muito mais que uma possibilidade futura, mas é garantia de algo concreto e definitivo que não está afeto somente ao momento do cansaço que é efêmero. 

Convite é uma coisa interessante. Não é algo obrigatório, mas é uma oportunidade para ter um tempo para descansar, desanuviar, espairecer; é quebrar a rotina que cansa e enfada para fazer algo diferente e capaz de trazer algum prazer. O peso não fica nas costas de quem é convidado, mas de quem faz o convite – ele é o responsável para fazer com que o momento valha o esforço e o tempo empreendido. 

O convite de Jesus nos chama para caminhar ao seu lado, para olhar a vida sob seu ponto de vista e a enfrentá-la segundo seu exemplo. Ele quer nos ensinar a viver. Ele quer nos ensinar aquilo que realmente importa e que traz sentido para a vida material e espiritual. 

Jesus convida você para caminhar ao seu lado. Vai aceitar ou declinar este convite?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel