Provação ou Tentação?

A tentação é o lado negativo de qualquer circunstância que enfrentamos, e a provação é o seu lado positivo, devido à origem e aos objetivos de ambas. Podemos ser vitoriosos resistindo às tentações e perseverando no Senhor que quer nos testar e que nos dá poder para a luta.

Na epístola de Tiago 1.12-13, encontramos a importância de passar pela provação; “12 Bem-aventurado é aquele que suporta com perseverança a provação. Porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam. 13 Ninguém, ao ser tentado, diga: “Sou tentado por Deus.” Porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo não tenta ninguém.” 

O problema é que a palavra empregada no original é a mesma, e as circunstâncias em que ambas, tentação e provação se apoiam, também são as mesmas. A tentação é algo negativo por causa da sua origem. Deus não tenta ninguém. Por outro lado, somos tentados e induzidos à tentação por nossa própria cobiça, observe as palavras de Tiago 1.14, “14 Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando está o atrai e seduz.”

O tentador, por definição, é Satanás. Foi ele que tentou o próprio Jesus, encontramos esse relato no Evangelho Segundo Mateus 4.3, “3 Então o tentador, aproximando-se, disse a Jesus: — Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pães.”

A tentação é algo negativo por causa do objetivo do tentador, a saber, destruir e devorar os que se deixam levar pelo caminho do pecado. Em 1Pedro 5.8 encontramos um alerta, “8 Sejam sóbrios e vigilantes. O inimigo de vocês, o diabo, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.” O adversário anda em derredor.

A tentação é algo negativo, por nos oferecer uma oportunidade e até uma justificativa para o pecado. Encontramos isso logo no primeiro livro da bíblia, no Gênesis, Eva usa de subterfúgios momentâneos para justificar sua desobediência, assim como Adão também o faz. Contudo, desculpas para o pecado que cometemos contra a santidade de Deus não absolve, elimina, explica, justifica, nossa transgressão. Nossos primeiros pais, tentaram se justificar diante de Deus, colocando a culpa no outro, mas ambos receberam o justo juízo de Deus.

Neste sentido, a tentação sempre nos acompanha em nossa própria cobiça, é utilizada pelo tentador com o objetivo de nos destruir e, naturalmente, desperta no coração a tendência de minimizar o pecado ou justificar o pecado, retirando a culpa de si mesmo e colocando no outro ou nas circunstâncias. A tentação sempre nos conduz para longe de Deus. O nosso Senhor é santo e perfeito, em sua santidade, não compactua com o pecado, muito menos aprova a transgressão, por isso nos afastamos do Senhor quando estamos em pecado.

O objetivo da provação, ao contrário do objetivo da tentação, é nos aproximar cada vez mais de Deus. Observe a tentação afasta-nos de Deus, a provação aproxima-nos de Deus. Como base para nossa afirmação usaremos a epístola de Tiago 1.2, “2 Meus irmãos, tenham por motivo de grande alegria o fato de passarem por várias provações,”. Nesse sentido, a provação sempre nos conduz para o crescimento espiritual. Passar por lutas e dificuldades produz em nós o sentimento de maior dependência de Deus, produz maior convicção da soberania de Deus atuando em nós, produz maior profundidade de comunhão com Deus.

A provação é abençoadora na vida do cristão, mas, não se esqueça, que a provação também pode ser utilizada por Satanás para nos afastar de Deus. O livro de Jó é uma clara demonstração neste sentido. Diante do sofrimento, não blasfemou contra Deus, e nem desonrou a Deus. Ao contrário, deu declarações extraordinárias sobre Deus. O próprio Deus disse que Jó era um servo que agradava ao coração dEle, este mesmo servo em Jó 42.5 declara com palavras maravilhosas após a provação, “5 Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem.” A provação aproximou mais Jó do Criador. As lutas de Jó o levaram para mais perto de Deus, embora Satanás tenha tentado levar Jó para mais distante de Deus. Então, é necessário estar atento, pois as provações, que Deus utiliza para fortalecer nossa fé, pode ser utilizada por Satanás como tentação para nos afastar de Deus.

Uma tentação de Satanás pode ser utilizada pelo Espírito Santo para nos conduzir mais ainda para perto de Deus. O próprio Jó é exemplo disso, pois Satanás procurou colocar Deus contra Jó e Jó contra Deus. Contudo, a tentação de afastar Jó de Deus produziu o efeito contrário, ou seja, tornou ainda mais firme sua fé no Senhor.

Na provação ou na tentação seremos vencedores se mantivermos nossos olhos no Senhor, somente o Senhor pode fortalecer-nos, guiar-nos. Que nossas vidas Jesus Cristo seja o centro.

Uma forma de mantermos nossas forças em Cristo encontramos em Mateus 26.41, “41 Vigiem e orem, para que não caiam em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” A oração é o balsamos do cristão, vigiar e orar ajuda-nos a não cair na tentação.

Que o Senhor abençoe sua vida e que todos nós!

 

Uma boa semana a todos.

Rev. Cristiam Matos