Orando e trabalhando pela progressão da Igreja.

Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual” – Cl 1.9

 

O apóstolo Paulo visitou diversas igrejas e as fortaleceu na Palavra. Ele era um mestre por excelência, mas também era um pastor acima de tudo. Ele sabia o que estava ensinando, mas a aplicação da Palavra nos corações é obra do Espírito Santo de Deus que abre a mente para a compreensão das coisas espirituais; é por isto que Paulo se coloca em oração por aqueles irmãos para que a ação de Deus seja completa, o que transparece na referência ao conhecimento, sabedoria e entendimento. Estes três dizem respeito ao processo de entrada da informação na mente, o processamento dela e a valorização que se dará a esta informação ao incorporá-la ao caráter. O saber é a informação primária que vem pela pregação da Palavra e que irá produzir a fé (Rm 10.17). Paulo é o instrumento desta informação primária apresentando a eles a vida e obra de Cristo, sua morte e sua ressurreição. Digno de nota é que Paulo estava sob o poder do Espírito Santo e, movido por ele, instrui aquelas pessoas a respeito do reino. Ato contínuo, este mesmo Espírito passa a agir na vida daquele que ouve a Palavra trazendo um entendimento que vem do alto. Esta ação não acontece na vida de todas as pessoas que ouvem o evangelho – e por isto não terão condições de entender e receber a Cristo como seu Senhor e Salvador; apenas aqueles a quem o Senhor conceder esta graça é que entenderão, isto é, conseguirão processar a informação obtida na pregação e entendê-la como verdade absoluta; somente após este estágio é que o conhecimento de fato se estabelece como tal e promove intimidade com Deus ao ponto de saber qual é a sua vontade divina. É o conhecimento que revela o plano geral de Deus para a salvação dos eleitos de tal forma que eles não poderão se opor à graça divina; é o que Calvino chamou de “graça irresistível”. 

Destarte, duas coisas sobressaem deste texto e nos desafiam no dia de hoje: 1) Precisamos pregar o evangelho a toda criatura. Isto é ordem de Deus, e se não ouvirem, como crerão?  (Rm 10.14). 2) Precisamos orar ao Senhor para que haja verdadeiro entendimento da Palavra entre os irmãos, e que este produza conhecimento, isto é, intimidade com o Senhor e sua igreja.

Vamos repartir o conhecimento que possuímos com aqueles que nada têm? Vamos orar para que a graça e a misericórdia de Deus os alcance, que seu Santo Espírito os convença, e que haja verdadeira salvação?

Uma frase atribuída a Lutero diz: “Orae et laborae!” (ore e trabalhe). Vamos atender a este desafio?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel