Bendirei o Senhor em todo o tempo.

Bendirei o SENHOR em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios” – Sl 34.1

Este é, sem dúvida, um ano atípico. Em virtude da pandemia mundial que nos assolou, projetos ficaram em suspenso, viagens foram desmarcadas, férias foram prejudicadas, empregos foram ameaçados, o “pão nosso de cada dia” pode ter sido racionado em alguns momentos. Os pessimistas de plantão dizem que não há motivo algum para agradecer a Deus ou para louvá-lo em virtude do que está acontecendo. 

Quero gentilmente discordar dos pessimistas. Por maior que tenha sido a dificuldade enfrentada, o Senhor abriu “portas” para que o sustento viesse. Não vi nenhuma notícia no Brasil sobre alguém que tenha morrido de fome por causa da pandemia. Com fartura ou não, saborosa ou insossa, o fato é que o Senhor alimentou a todos. 

Pessoas morreram por causa deste vírus especificamente. Até o presente momento mais de 130 mil vidas foram “colhidas” em virtude desta enfermidade. No entanto, outras doenças que também matam como gripes, dengue, pneumonia, acidentes, problemas cerebrovasculares e outras figuram em números menores do que as registradas em anos anteriores. 

As igrejas não perderam seus membros. Ainda que não seja possível retornar aos trabalhos presenciais como é o anseio geral, cada denominação tem produzido material “on-line” para dar suporte aos seus fiéis em todas as áreas: emocional, material e espiritual. Ouve um investimento maciço na produção de “lives”, de encontros virtuais, de estudos bíblicos dirigidos, de cultos pela internet. 

As famílias cristãs estão melhores do que antes. É fato que o isolamento social produziu estresse nos integrantes da família; porém, com criatividade, carinho e amor os obstáculos foram superados em sua grande maioria. Os vínculos afetivos se tornaram mais fortes, e todos se tornaram “parceiros” para enfrentar a situação. Não podemos nos enganar dizendo que não existiram, e nem tampouco que não acontecerão “baixas” nesta luta – infelizmente temos conhecimento que algumas famílias se desestruturaram -, porém o “estrago” foi muito menor do que os pessimistas previam. 

De forma geral, apesar dos pesares, creio que posso fazer exatamente como o salmista e bendizer ao Senhor por todo o tempo que estamos atravessando, pois vejo inequivocamente a mão maravilhosa de Deus cuidando, sustentando e fortalecendo os seus amados. Tenho motivos de sobra para louvá-lo de todo o meu coração e com toda a minha alma.

E você? Pode bendizer e louvar ao Senhor em todo o tempo?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel