A dura face de Deus.

O SENHOR é Deus zeloso e vingador, o SENHOR é vingador e cheio de ira; o SENHOR toma vingança contra os seus adversários e reserva indignação para os seus inimigos” – Naum 1.2

 

É comum as pessoas acreditarem que Deus é um velhinho bonzinho que só quer o bem da humanidade, e que sofre horrivelmente quando suas criaturas andam por caminhos de violência e morte (coisas que o entristecem profundamente), mas que nada faz para intervir a fim de que cada um aprenda com seus próprios erros. Em outras palavras: é um Deus velho, decrépito, omisso e que esmola alguma adoração por menor que seja. É o Deus do “descompromisso”, das “mágicas baratas”, do padrão hippie do “paz  e amor”.  

Que diferença entre este deus e o Deus de Naum! Nas suas palavras é possível vislumbrar um Deus vigoroso, forte, atento aos detalhes da vida de cada um, que se enfurece quando é desobedecido e no tempo certo há de retribuir conforme as obras de cada pecador. 

Olhando para as duas descrições, qual deles parece um Pai amoroso, firme, pronto para defender seus filhos? Qual deles inspira confiança?

O primeiro tem a cara do personagem fictício chamado de “papai noel”, enquanto o outro tem a face de um ser eterno, onipresente, onisciente e onipotente. Por mais que pareça demorado em exercer seu juízo extremo (demora esta que é expressão de seu amor e misericórdia – Lc 18.7; 2Pe 3.9), no tempo determinado se manifestará a ira sobre aqueles que estão debaixo da sua indignação. 

Não se iluda imaginando que o deus bonzinho vai perdoar a todos no fim das contas e fazer uma grande excursão para o paraíso onde os bons e os maus andarão de mãos dadas porque a morte “zerou” o placar. Esse deus só existe no imaginário daqueles que não conhecem a Deus, que não possuem o conhecimento de sua santidade, que não conseguem alcançar a profundidade da verdade revelada em Cristo onde céu e inferno são lugares tangíveis e eternos. 

A face de Deus é dura, porém é justa; não julgará segundo os méritos pessoais, mas segundo sua própria justiça que escolhe aqueles que passarão a eternidade ao seu lado. Quanto aos demais, porque todos são pecadores, seus salários já estão reservados e prontos para serem pagos integralmente no dia do juízo. Ninguém ficará sem a justa paga. 

Sugiro que você busque a verdadeira face de Deus enquanto há tempo. Sugiro que se achegue humildemente, clame pelo sangue libertador e purificador de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Sugiro que lance fora qualquer mérito que guardou na “manga” para apresentar ao Senhor e apenas mostre suas mãos limpas, vazias, desprovidas de qualquer esperança de retribuição ou intenção de barganha. Apenas busque ao Senhor em oração, preferencialmente de joelhos (uma atitude de humilhação), reconhecendo devidamente que é um pecador, que está perdido e que precisa urgentemente da salvação que só Jesus pode dar. Sugiro que abra bem seus ouvidos para ouvir e atender à voz do Espírito Santo de Deus porque [quem sabe?] ele chamará você pelo seu nome; e se isto acontecer, você jamais vai querer acreditar ou defender este deus falso que o mundo apresenta. 

Deixe de acreditar em “contos da carochinha” e creia firmemente no Deus todo poderoso, criador do céu e da terra, que está indignado com as pessoas que não andam nos seus caminhos. Fique avisado: em breve virá o seu juízo. Prepare-se!

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel