Selados com o Espírito Santo da Promessa.

“…em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa…” – Ef 1.13

 

Acho muito significativo o selo de uma carta comum ou um selo de um documento oficial. Desde cedo aprendi que um selo traz à carta ou ao documento uma autoridade e uma promessa de inviolabilidade: somente o destinatário tem o direito de abrir o selo, e qualquer outra pessoa que o fizer cometerá crime federal. 

Selar documento é uma prática antiga. Nos primórdios o signatário usava um brasão indicativo de procedência em alto relevo e o pressionava sobre um pouco de cera derretida nas bordas da dobradura do papel que “fechavam” a correspondência oficial (Ester 8.10). 

Paulo tinha conhecimento desta prática dos correios. Muito provavelmente ele mesmo tinha um selo que usava para lacrar sua correspondência. Como era algo de conhecimento geral, utilizou-se desta metáfora para que seus leitores entendessem bem o que queria dizer com “selados” pelo Espírito Santo, isto é, para indicar aqueles que foram agraciados com a “marca” do Espírito para a salvação.

O princípio do verso aponta para a pessoa que tornou tudo isto possível: Jesus Cristo; e também para a forma como isto aconteceu: pelo ouvir a palavra da verdade; a pregação do evangelho santo nada mais é do que a história de amor e redenção da parte de Deus Pai ao enviar seu Filho Jesus para cumprir toda a justiça. Somente para aqueles que entendem o evangelho (e isto pela graça de Deus que concede a fé necessária para isto – Ef 2.8-9), a fé se mostra como a cera que dá forma ao selo do Espírito, esta marca indelével que absolutamente nada pode remover. Em outras palavras, podemos dizer que cada cristão que foi alcançado pela graça tornou-se uma “carta viva” que, selada e protegida pelo Espírito Santo, segue seu caminho rumo à eternidade para ser lida pelo Senhor na glória. 

Sempre apreciei cartas e o fato de que sem a devida quantidade de selos elas retornavam ao remetente. Como mantive por muito tempo amizade com um amigo querido, que depois veio a me apresentar sua irmã que hoje é minha esposa, e com a qual antes de casar mantive farta produção de cartas, minha maior preocupação era a quantidade de selos necessários conforme o peso da correspondência para que em hipótese alguma uma única carta fosse devolvida. Hoje, na qualidade de “carta viva do Senhor Jesus” tenho a certeza de que não irei para outro destino a não ser àquele ao qual estou endereçado – a vida eterna – porque estou muito bem “selado” pelo Espírito Santo de Deus.

E você? Já foi “selado” pelo Espírito Santo? Tem certeza absoluta de qual é o seu destino eterno?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel