Na casa do Pai

Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar” – Jo 14.2

 

João, o autor deste evangelho, usou algumas palavras cujo significado em grego oferece diferenciação entre espaços físicos. A primeira palavra é “oikia”, casa que acolhe familiares, edifício que dá abrigo àqueles que têm algum parentesco. A figura do Pai remete a um patriarcado onde todos os demais membros da família dependem física, emocional e espiritualmente do ancião que exerce o governo sobre todos. É privilégio do patriarca estabelecer os valores morais aceitáveis, definir privilégios sociais e controlar as propriedades. Ao referir-se a esta casa que pertence ao Pai, Jesus conduz seus discípulos a criar este paralelo entre o que eles já conheciam e viviam (sociedade patriarcal) com aquilo que desconheciam (o reino dos céus). 

A outra palavra que vai dar mais sentido e fundamento para este paralelismo é “mone”, traduzida como “moradas”. A ideia que Jesus oferece é a de que existe possibilidade de “entrar” no seio familiar e receber um quinhão (parte) por beneplácito (concessão) do ancião. É possível entender aqui a questão da “adoção” que o apóstolo Paulo expressou em Romanos 8.15 e 23, Gálatas 4.5 e Efésios 1.5, e fazer uma ponte com João 1.12 (Leia estes textos antes de continuar a leitura) onde, mediante a pessoa e obra de Cristo, o Espírito Santo confirma com nosso espírito que somos filhos de Deus (Rm 8.16).

Por fim, a outra palavra é “topos”, traduzido como “lugar”; o sentido original é de uma porção separada, exclusiva, um espaço delimitado dentro de uma cidade ou vila próxima à cidade. A lógica do argumento está na coerência da proposição de Jesus, haja vista que nem todos poderão viver dentro da Jerusalém que descerá do céu, mas residirão no espaço reservado para as nações (Ap 21.10 e 24). 

Uma das regras da boa hermenêutica é que um texto não pode ser desvinculado do seu contexto. No verso 1 Jesus desafia seus discípulos a acreditarem em Deus Pai e nele mesmo. Fé é o requisito necessário para entender e aceitar que Deus é Rei soberano, e que somente através de Cristo é possível receber um lugar no reino eterno. Você já tem o seu lugar reservado?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel