Ansiedade.

Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?” – Mt 6.25

 

Não tem sido fácil lidar com a ansiedade. O mal que assola o mundo inquieta todos os corações com dúvidas terríveis: Será que vamos ser contaminados? Se formos, iremos sobreviver? Haverá recurso médico disponível se precisarmos ser hospitalizados? Nossos familiares estarão seguros? Se a pandemia persistir até o próximo ano, como iremos nos sustentar até lá? São perguntas válidas cujas respostas não são conclusivas. 

Medo e ansiedade andam de mãos dadas; criam um ciclo vicioso do qual é difícil de escapar. Não é a toa que as farmácias e os supermercados aumentaram seus faturamentos neste tempo de incertezas. 

Ansiedade não é algo novo. Jesus já lidava com esta questão desde o início de seu ministério. A narrativa aqui tem como pano de fundo as instruções dadas aos discípulos que o seguiam, e que já estavam ansiosos para saber como se manteriam e como sustentariam suas famílias se acompanhassem a Jesus. Não havia garantia alguma de recursos pecuniários, de nenhuma espécie de sustento financeiro. Tudo repousaria somente na fé em que Deus haveria de prover o necessário em todo o tempo (v.26). 

Os anos passaram, mas a Palavra de Deus permanece a mesma; milhares de décadas e os discípulos que vieram permaneceram na mesma esperança de cuidado; milênios separam os primeiros discípulos de nós, mas a fé ainda é a mesma. Para vencer a ansiedade precisamos ter fé, confiar no poder de Deus e em sua divina providência porque ele tem cuidado de nós. 

Sei que todos lidam com a ansiedade, mas o remédio ainda é o mesmo: ter fé que nada nos faltará.

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel