Ovelhas entre lobos.

Pastoral (5)

Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas” – Mt 10.16

 

Estas palavras foram dirigidas para os discípulos logo após terem sido escolhidos por Jesus. Salvaguardadas as proporções, nós somos os discípulos de hoje, aos quais Jesus confiou a pregação do evangelho. 

Muitos discípulos não querem falar das boas novas. Acreditam que este é um serviço para pastores e evangelistas, para vocacionados especiais. Esta é uma falácia (ardil retórico cuja finalidade é desviar da verdade) comum e bom instrumento de Satanás para que o evangelho não seja pregado a toda criatura. Além disto, pesa no coração dos discípulos o medo de não ter conteúdo suficiente para argumentar com o incrédulo e, assim, passar vergonha diante dele; ou ainda o medo de sofrer algum tipo de violência física, psicológica ou emocional (Mt 10.17).

Jesus sabe de todas as coisas. Sabe o que pode e o que vai efetivamente acontecer em nossas vidas. Conhece profundamente os “lobos vorazes” e conhece muito bem a cada uma das suas ovelhas – as necessidades, fragilidades e limitações (Jo 10.14). O que as ovelhas deveriam fazer é confiar mais em seu Pastor, no seu plano geral, nas suas palavras e em seu poder para salvar. Ser prudente como “as serpentes” aponta para o fato de não confiar nas pessoas e em suas atitudes, e ser símplice como “as pombas” para a confiança irrestrita naquele que as sustenta (Mt 6.26). 

Na ordem da cadeia alimentar os lobos estão acima das ovelhas. Lobos têm grandes dentes, orelhas sensíveis, olfato aguçado, visão privilegiada e defendem-se com violência; ovelhas são míopes, medrosas e, às vezes, rebeldes contra seu pastor. Nunca se esqueça que o Senhor – o bom Pastor – salvará as ovelhas, e não os lobos…

Um bom e abençoado dia.

Rev. Joel

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.