Ociosidade ou Produtividade. 2 Pedro 1.3-8

Blog IPJ (4)

Uma vez que Deus já nos concedeu tudo o que conduz à vida e à piedade, devemos desenvolver as qualidades que nos farão mais ativos e produtivos. Para isso devemos perguntar-nos; como é a nossa experiência cristã? Um impulso inicial seguido de uma acomodação crônica?

O texto de 2 Pedro 1.3-8 nos ensina o que Deus já fez por nós e o que nós devemos fazer para evitar a ociosidade e aumentar a produtividade. Na escritura encontramos resposta para viver uma vida para o Senhor. Como a bíblia é nossa regra de fé e prática, destacamos alguns pontos importantes para responder a essas perguntas, conforme a segunda epístola de Pedro.

O primeiro ponto mostra-nos, Deus nos chamou para sua própria glória e virtude, no vs. 3 encontramos, “Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude.”

 A Bíblia afirma claramente que a salvação eterna acontece por obra de Cristo, realizada na cruz, a qual é aplicada sobre o pecador pelo Espírito Santo. Deus, então, chama pecadores para si do estado de perdição para a salvação eterna, para sua própria glória e virtude.

A salvação eterna, visto ser dada a nós, por iniciativa de Deus, redunda em glória para o próprio Deus. E, assim, quando reconhecemos que somos salvos pela graça de Deus, em Cristo, nos rendemos ao Senhor. Louvado seja Deus pela salvação extraordinária, graciosa, que recebemos!

 Bendito seja nosso Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, pois em sua misericórdia que se renova a cada manhã, somos lavados, perdoados e regenerados.

 Ser encontrado por Cristo e, consequentemente, encontrar-se com Cristo, revela conhecimento da glória de Deus, pois Cristo revela Deus e sua glória. O Deus glorioso, o glorioso Jesus, transforma-nos a cada dia, “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.”, conforme a segunda carta que o apóstolo Paulo escreve aos Coríntios 3.18.

 O contato com a glória de Cristo faz toda a diferença em nós, nos leva a considerar nossa co-participação na natureza divina.

 O segundo ponto mostra-nos, que O Deus nos fez participantes da sua glória. Pensar sobre nossa participação na glória de Deus nos eleva num patamar que jamais poderia ser alcançado pelo nosso próprio esforço. Contudo, somos chamados para participarmos da glória de Deus, à uma íntima comunhão com Deus, pois fomos feitos à imagem de Cristo.

 Embora a imagem de Cristo em nós ainda não seja perfeita, é apenas uma questão de tempo e seremos à imagem perfeita do nosso Salvador e Senhor, Jesus Cristo.

 Nosso corpo será parecido ao de Jesus Cristo. Paulo afirma aos Romanos 8.29, “Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho…”. Nós somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser, mas um dia será manifesta, no glorioso dia.

 Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, teremos um corpo parecido ao de Cristo, seremos salvos do poder do pecado, porque haveremos de vê-lo como Ele é. Perfeito em santidade!

 Nós somos filhos de Deus, mas ainda não somos na forma completa, total do que haveremos de ser. Não estamos mais perdidos e condenados, por esse motivo ainda não somos o que haveremos de ser, glorificados. Isso acontecerá na volta de Jesus Cristo, quando Ele buscar o povo exclusivamente Seu.

 Esta é a razão pela qual a corrupção que há no mundo acaba perdendo a força em nossa própria vida. É isso certeza que encontramos no vs. 4, pois uma vez participantes da glória de Deus, Deus também vai nos livrando da corrupção das paixões que há no mundo.

 O terceiro ponto mostra-nos, que por Sua graça, tudo que temos e somos recebemos graciosamente de Deus. Assim, não podemos ficar indiferentes ao Senhor, ao contrário, temos que ser diligentes em desenvolver o que da parte de Deus recebemos.

 O que recebemos de Deus, deve tornar-nos mais  diligentes em todas essas coisas, conforme encontramos aqui na epístola, a saber:

 A Fé, resposta ativa ao que Ele graciosamente fez por nós; a Virtude, excelência, à imagem de Cristo, isso significa o esforço em imitar Cristo; o Conhecimento, capacidade para perceber e escolher o que é correto, o Domínio próprio, submissão ao controle de Cristo, pelo Espírito; a Perseverança, perseverar no Senhor para crescimento espiritual; a Piedade, consciência de um viver diário, constante e íntimo com Deus; a fraternidade, comunhão verdadeira com os irmãos; o amor, o maior de todos os dons, realizar todas as coisas na base do amor, seja em qualquer afazer, seja no relacionamento com outros.

 Então, considerando que somos chamados por Deus para sua glória e que Deus nos fez participantes da sua glória, devemos lutar para que essas qualidades, que Deus mesmo colocou em nós, aumentem e sejam cada vez mais desenvolvidas, fazendo com que não sejamos inativos, nem infrutuosos em nosso viver diante do Senhor, conforme registro no versículo 8.

 Podemos concluir conforme descrito na segunda carta de Pedro, conforme os versículos 3 a 8, que, o contrário de produtividade é ociosidade. Se não desenvolvermos essas práticas, tendemos a ser ociosos diante de Deus.

 A luz deste texto faremos duas reflexões:

 Quais sentimentos temos, quando consideramos que Deus nos chamou para sua própria glória e para sermos participantes da sua glória?

 Qual avaliação fazemos de nós mesmos quanto às qualidades dinâmicas que precisamos desenvolver?

 Que nosso Senhor nos fortaleça e nos ajude a caminhar no Senhor.

 Aplicações para nossas vidas:

  1.   Você entende que a graça derramada sobre as nossas vidas, conduz o homem ao desejo de parecer com Jesus Cristo, ser como Cristo foi, andar como Cristo andou, somente é possível este desejo, porque o Senhor concedeu a nós.
  2.   Você sabe que somente em Cristo Jesus encontraremos a plenitude de alegria, não devemos ser ociosos, mas sim produtivos no reino. Produzir frutos, empregarmos nosso dom no reino.
  3.   Nossa atitude deverá nos levar a praticar o que o Senhor coloca em nosso coração. Se a resposta às perguntas for um sentimento indescritível, de uma alegria inexplicável, nossa atitude será de glorificar a Deus hoje e por toda a eternidade. Glorifique ao Senhor, dedique-se ao Senhor, viva em resposta ao chamado do Pai.

 

Rev. Cristiam Matos

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.