Missões

Filosofia de Missões da Igreja Presbiteriana do Brasil

Fazer missão é levar o evangelho do Senhor Jesus Cristo em sua totalidade para o suprimento e resgate do ser humano em sua totalidade no Brasil e no mundo.

Conforme o propósito e o alvo do Pacto de Lausanne, cuja lema foi: O Evangelho todo para o homem todo – (The Whole Gospel for the Whole Man), diz:

De acordo com a Confissão de Fé de Westminster, no seu capítulo XXXV, que trata do “Amor de Deus e das Missões, assim prescreve:

I – Em seu amor infinito e perfeito – e tendo provido no pacto da graça, pela mediação e sacrifício do Senhor Jesus Cristo, um caminho de vida e salvação suficiente e adaptado a toda a raça humana decaída como esta – Deus determinou que a todos os homens esta salvação de graça seja anunciada no Evangelho. Ref. Jo.3:16; Tim. 4:10; Mc. 16. 15

II – No Evangelho Deus proclama o seu amor ao mundo, revela clara e plenamente o único caminho da Salvação, assegura vida eterna a todos quantos verdadeiramente se arrependem e crêem em Cristo, e ordena que esta salvação seja anunciada a todos os homens a fim de que conheçam a misericórdia oferecida e, pela ação do Seu Espírito a aceitem como dádiva da graça. Ref. Jo.3:16 e 14:6; At.4:12; I Jo.5: 12; Mc. 16:15; Ef.2:4, 8, 9.

III – As Escrituras nos asseguram que os que ouvem o Evangelho e aceitam imediatamente os seus misericordiosos oferecimentos, gozam os eternos benefícios da salvação; porém, os gue continuam impertinentes e incrédulos agravam a sua falta e são os únicos culpados pela sua perdição. Ref. Jo.5:24 e 3:18.

IV – Visto não haver outro caminho de salvação a não ser o revelado no Evangelho e visto que, conforme o usual método de graça divinamente estabelecido, a fé vem pelo ouvido que atende a Palavra de Deus, Cristo comissionou a sua Igreja para ir por todo o mundo e ensinar a todas as nações. Todos os crentes, portanto, têm por obrigação sustentar as ordenanças religiosas que já estiverem estabelecidas e contribuir, por meio de suas orações e ofertas e por seus esforços, para a dilata~ão do Reino de Cristo por todo o mundo. Ref. Jo. 14:6; At. 4:12; Rom. 10: 1 7; Mt. 28: 19, 20; 1 Cor.4:2; II Cor. 9:6, 7, 10.

A IPB como igreja em missão, cumpre o seu objetivo através da Junta de Missões Nacionais (JMN), Plano Missionário Cooperativo (PMC),  Comissão Nacional de Evangelização (CNE) e Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT), órgãos criados e aprovados pelo SC/IPB. 

Junta de Missões Nacionais

www.jmnipb.org.br

Tem como missão 1) Plantar igrejas em campos pioneiros no Brasil e transferir para os Presbitérios em momento próprio; 2) Dar ao missionário, sempre que possível, o status de reconhecimento dos órgãos públicos; 3) Esforçar-se para garantir o seguro de vida, saúde e seguridade; 4) Recrutar missionários oriundos da Igreja Presbiteriana do Brasil, não enviar missionários que não sejam da Igreja Presbiteriana do Brasil e não estabelecer acordo de sustento de missionário de outra denominação; 5) Estabelecer padrões de sustento missionário, baseados na realidade de cada região.

Plano Missionário Cooperativo

www.pmc.org.br

O PMC é uma Comissão permanente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil e tem por finalidade firmar parcerias com Igrejas e Presbitérios para o plantio e para a revitalização de Igrejas. 

Comissão Nacional de Evangelização

Tem como objetivo 1) Motivar e treinar as lideranças das igrejas locais, ensinando métodos e técnicas para evangelização de grupos específicos; 2) Produzir literatura e folhetos e estabelecer condições para uso de meios de comunicação, como rádio, TV, Internet, teatro, etc., para serem utilizados inteligentemente na evangelização. A mensagem não muda, os métodos podem e devem mudar; 3) Apoiar o trabalho de revitalização de congregações e igrejas; 4) Promover congressos missionários de âmbito nacional juntamente com os demais órgãos missionários dando ciência à mesa da CE/SC.

Agência Presbiteriana de Missões Transculturais

www.apmt.org.br

Tem como objetivo 1) Definir o campo de trabalho dentro da visão de Deus para o testemunho da IPB em outros países e os de caráter transcultural quando no Brasil, e não através de um ato subjetivo ou de paixão; 2) Trabalhar em parceria, dentro do possível, com as igrejas reformadas ou presbiterianas já existentes nos países, dando conhecimento a CRIE/IPB; 3) Dar ao missionário, sempre que possível, o status de reconhecimento dos órgãos públicos e corpos diplomáticos; 4) Esforçar-se para garantir o seguro de vida, saúde e seguridade; 5) Recrutar missionários oriundos da Igreja Presbiteriana do Brasil, não enviar missionários que não sejam da Igreja Presbiteriana do Brasil e não estabelecer acordo de sustento de missionário de outra denominação; 6) Estabelecer padrões de sustento missionário, baseados na realidade de cada região;