Mateus 5.11-12 – Bem aventurado o perseguido por Jesus

persecution-hands1

“Bem aventurados os perseguidos por causa de Cristo”.

É possível que alguém já tenha zombado da sua fé ou dos seus valores cristãos. Se passou por esta experiência você sabe que a intenção era causar algum tipo de embaraço diante de outras pessoas onde você se sentisse inferior a elas. Este tipo de aborrecimento não pode ser comparado ao que Jesus fala nos versos 11 e 12, pois o sentimento ali não é mesquinho para criar um ambiente ruim, mas sim de ódio tão intenso capaz de ofender moralmente, de “caçar”, de mentir diante de um tribunal para que o cristão seja condenado pelas leis deste mundo. 

Porque estas pessoas agem desta forma? Qual o verdadeiro motivo para fazerem isto? Estas respostas encontramos em Deus. Tais pessoas procedem desta forma porque Deus tem um propósito para isto, tanto na vida delas quanto nas dos que são perseguidos; além disto, creio que estes perseguidores são internamente motivados pelo medo a respeito daquilo que não entendem – e que não podem entender – pois estas coisas se discernem espiritualmente através da iluminação do Santo Espírito. Há uma enorme distância entre um cristão e um não cristão: para nós Jesus é o Senhor e está vivo, para eles Jesus foi um homem qualquer e está morto; nós cremos em ressurreição, eles crêem em reencarnação ou no fim absoluto; nós cremos na inerrância Palavra de Deus, eles acreditam que é um livro feito por homens; nós cremos que Deus criou todas as coisas, eles crêem no evolucionismo, e assim por diante. Estas questões foram e ainda são motivos para perseguições e martírios. O que fazer para mudar isto? Pegar em armas? Defender nossa vida a qualquer custo? 

O verbo “perseguir” oferece implicitamente a figura de alguém que foge, que tenta escapar, que não luta frente a frente. Fugir não parece algo corajoso, mas deve fazer parte do cristão; Jesus instruiu seus discípulos a fazer exatamente isto em tempo de perseguição (Mt 10.23- leia, é importante). Além da perseguição dos homens, o apóstolo Paulo nos orienta a fugir do pecado e da idolatria (1Co 6.18, 10.14). Fugir, nestes casos, não é uma questão de covardia, mas sim de manutenção da vida e da certeza que o Senhor é quem vai vingar as afrontas que os seus filhos sofrem (Jr 51.6).

Quando você se sentir perseguido por ser incompreendido em seus postulados de fé e prática lembre-se do verso 12: “regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós”.

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel 

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.