Justificação Pela Fé – Romanos 3.21-26

modelo02

A justificação de Deus é a única forma do cristão obter a salvação. Deus não anula a Sua Lei para justificar o ímpio, aquilo que você não pode fazer, Deus fez por você. O novo testamento afirma repetidamente que os cristãos são salvos com base na obra de Cristo e em seu favor.

A justificação desempenhou um papel significativo na teologia de João Calvino. Ele acreditava que um relacionamento salvador com Deus não pode existir separadamente da justificação. Calvino assim como Lutero, enfatizava que a justificação é somente pela fé. Um relacionamento correto com Deus não pode ser obtido por obras, por esse motivo o único caminho para a salvação é a fé. Contudo, a fé não pode ser construída como uma obra, como se a fé, por si, justificasse, pois se fosse assim, então a fé seria uma boa obra que nos torna justos com Deus.

A fé é um instrumento que nos une a Cristo, logo, os crentes são justificados por Cristo, o crucificado e ressurreto. A fé, por si, estritamente falando, não justifica. A fé se justifica como um instrumento, recebendo Cristo por justiça e vida. A fé não é uma aquisição na salvação, mas uma ação de Deus na vida do homem, a fé é um dom vindo de Deus para nós. Neste sentido, quando o Senhor alcança aos Seus, Ele abre a mente, os ouvidos e o coração do homem, para que crer em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Segundo Calvino a fé é viva, ativa e vital. A fé verdadeira tem um efeito poderoso sobre as nossas vidas. Nós sentimos a doçura do amor de Deus e somos dominados, cativados completamente por ela, nossos corações são atraídos a colocar nossa confiança em Deus. A fé é um dom de Deus, mas podemos também afirmar que a fé deriva da Palavra de Deus, do ouvir de Deus. A fé, coloca a sua confiança na Palavra de Deus e em sua promessa, por isso ela deriva da Palavra de Deus e do evangelho de Jesus Cristo. Deus mandou seu único Filho, Jesus Cristo, como nosso substituto. Jesus Cristo pagou a pena pelo pecado do homem. Deus é Justo e não poderia justificar o homem comprometendo a Sua Lei. O salário do pecado é a morte, o homem pecou e merece a morte.

A condenação é justa, mas Deus, por amor, deu Seu Único Filho para morrer a nossa morte e assim pagar o preço do nosso resgate.

Nós somos justificados por causa dos méritos de Cristo, da perfeita obra de Cristo, por conta do sacrifício de Cristo, somente alguém, sem pecado, nascido de uma virgem, puro, poderia vencer a morte. Somente Ele podia pagar o preço de nossa justificação, Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Quando Jesus Cristo veio, Ele foi para a cruz em nosso lugar, quando Jesus estava lá na cruz, depois de ser humilhado, cuspido, torturado, açoitado, zombado, exposto naquele momento de horror e vergonha. Deus fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós.

Deus jogou sobre Ele a nossa maldade, incredulidade, impureza, vaidade, orgulho, soberba, ou seja, todos os nossos pecados. Jesus foi ferido, foi traspassado pelas nossas iniquidades, e quando Jesus estava no alto daquela cruz, Ele foi feito pecador por nós, toda a condenação que o nosso pecado merecia estava sobre Ele. Jesus pagou o maior preço, nenhum de nós seríamos capazes de pagar. Neste  sentido, a Justificação é o ato de Deus mediante o qual Ele, em sua graça, declara justo o pecador pelos méritos de Cristo, isentando-o de qualquer condenação e recebe esta Justificação pela fé, através de Cristo Jesus.

O homem recebe a Justificação, por receber a justificação temos fé, o homem não pode se vangloriar nela, porque a fé é um dom de Deus. A justificação acontece pelos méritos de Cristo e somente pela fé nEle. Deus não torna o homem bom para salvá-lo, isso não é Justificação, não podemos confundir Justificação com Santificação.

A Justificação não se refere a uma mudança intrínseca no indivíduo, e sim a uma declaração feita por Deus. Visto que não temos justiça própria e somos culpados diante de Deus, Ele nos declara justos com base na expiação de nossos pecados por Cristo e na sua justiça imputada a nós.

Cristo Jesus foi considerado pecador e recebeu o castigado em nosso lugar, tomou o nosso lugar e deu-nos o lugar dEle, tomou o nosso pecado e deu-nos a Sua Justiça.

A Justificação é um ato único e exclusivo e não se repete, não acontece dentro de nós, não é algo que Deus faz em nós, mas é algo que Deus faz por nós, para a glória dEle. Ela é uma justiça imputada, atribuída somente a Ele, por Ele e através dEle.

A Justificação é pela graça, reconciliando-nos com o Pai, mediante a fé, com base somente nos méritos de Cristo. Deus não somente nos declara justos com a Justificação, mas posteriormente nos torna justos com a Santificação.

A fonte da Justificação é a graça de Deus, o fundamento da Justificação é a obra de Cristo e o meio da Justificação é a fé. Aqueles que creem em Jesus Cristo, estão livres da condenação.

Jesus Cristo ao fazer-se homem, morrendo na cruz, pega o escrito de dívida que havia contra nós, rasga este escrito de dívida e a encrava na cruz. Está pago!

Aquele que crê em Cristo Jesus não deve mais nada, pois foi justificado. Naquele momento Jesus Cristo pagou, toda a sua, a minha a nossa dívida.

Cristo Jesus livra-nos da punição e desta forma nos torna justo. Por isso que a Justificação é mais do que o perdão.

Não pode haver condenação para quem foi justificado.

Que nosso Senhor abençoe nossas vidas e vivamos para proclamar esse maravilhoso ato, a justificação em Jesus Cristo.

Louvado seja nosso Senhor e Salvador!

Uma boa semana.

Rev. Cristiam Matos

 

 

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.