História

HISTÓRIA DO PRESBITERIANISMO

A história da Igreja Presbiteriana inicia-se com a Reforma Protestante no Século XVI, com os ousados protestos do monge agostiniano Martinho Lutero, contra as corrupções na Igreja da sua época. Na França, essa Reforma foi dirigida por João Calvino que, perseguido, se estabeleceu em Genebra, de onde os seus exaustivos ensinos doutrinários se estenderam por toda a Europa. Na Escócia, a Igreja protestante foi organizada pelo sacerdote John Knox e mais tarde passou a ser chamada de Igreja Presbiteriana, por causa do desempenho dos mais velhos (presbíteros, em grego). 

 

PRESBITERIANA NO BRASIL

Igreja Presbiteriana no Brasil teve início com a vinda do missionário norte-americano Ashbel Green Simonton, em agosto de 1859. Em apenas oito anos, ele lançou as bases da Igreja Presbiteriana, no Rio de Janeiro, em 1862, além de uma Escola Dominical, um Jornal, um Presbitério e um Seminário. 

 

PRESBITERIANA EM JOINVILLE

O trabalho presbiteriano na cidade de Joinville tem registros a partir de 1921 com a chegada do presb. Fernando Nunes Santana e família. Eles abriram as portas de seu lar e deram início à pregação do evangelho com o estabelecimento de uma escola dominical para crianças. Também são deste período os irmãos João Bernardino da Silveira e José Marcos de Freitas, com suas respectivas famílias.

Em 30 de abril de 1923 este ponto de pregação foi organizado como Congregação Presbiterial sob os cuidados do Presbitério do Sul. O primeiro pastor a atender este campo de forma sistemática foi o Rev. Palmiro Rugeri, que o fez em dois períodos distintos – 1923-1924 e 1928-1937, perfazendo nove anos de cuidado pastoral. É bem verdade que missionários americanos visitaram o trabalho antes disto: Roberto Frederico Lenington, George Landes Bieckerstapf, e A.C. Conrad. Por breve período pastoreou a congregação o Rev. Harold Cook. Além disto, a congregação contou com a visita dos Revs: Antônio Marques da Fonseca Júnior, Agenor Mafra, Parísio Cidade, Floyd Soevering, Martinho Rickli e Adolfo Anders.

Em 30 de agosto de 1937 houve a primeira organização da congregação em igreja. Foram eleitos os Presbíteros: Fernando Nunes Santana e João Bernardino da Silveira; e os Diáconos: José Marcos de Freitas e Raulino Torrens. A igreja contava com 49 membros comungantes, 47 não comungantes e 76 alunos matriculados na Escola Dominical. O primeiro pastor foi o Rev. Adolfo Anders.

Em 1948, completados 11 anos e em decréscimo (contava com 43 comungantes e 64 não comungantes), a igreja retornou à condição de Congregação Presbiterial.

Somente em 31 de maio de 1953 a Congregação foi novamente reorganizada em igreja. Foram eleitos presbíteros: Assis Ribeiro de Lima, Manoel da Silva e Rodolfo Silveira Furtado, e Diáconos: Pedro Elias, Getur de Oliveira e José Amadeu Money. O rol de membros era composto por 32 comungantes e 31 não comungantes.

A Igreja Presbiteriana de Joinville não tem nenhum sobrenome alemão registrado em sua fundação, apesar da cidade ser de colonização predominantemente germânica. Sua história mostra que é uma igreja composta em sua grande maioria por pessoas oriundas de outras cidades, que acharam aqui guarida para suas almas cansadas. Duas outras igrejas nasceram como fruto da graça divina: Igreja Presbiteriana Antioquia e Igreja Presbiteriana Jardim das Oliveiras.

Há muito a ser feito pelo reino. A cidade continua a crescer e expandir-se, e o mesmo deve acontecer com nossa igreja. Queremos uma igreja mais forte, pujante, aguerrida, que cresce na graça e no conhecimento de Cristo. Queremos uma igreja que seja sensível ao destino eterno dos perdidos e que proclame a mensagem salvadora de nosso amado redentor. Por isto a I.P. Joinville conta com a ajuda e as orações de todos os seus membros para que este querer torne-se realidade.

Vamos ajudar nossa igreja a escrever mais uma história de graça e amor plantando outras igrejas para a glória do Senhor?

Que Deus nos abençoe na caminhada!

Rev. Joel Lino Lemes – Pastor da IPJ

EM QUE CREMOS?

Os Símbolos de Fé oficiais da Igreja Presbiteriana do Brasil são: Confissão de Fé de Westminster, Catecismo Maior de Westminster e Breve Catecismo de Westminster.