Ceia do Senhor – Mateus 26.26-29

Blog IPJ

A Igreja Presbiteriana do Brasil adota a Confissão de Fé de Westminster, por assim entender que ela é a mais concisa confissão já produzida. Ela é pautada na Sagrada Escritura, por esse motivo é reconhecida como bíblica, totalmente centrada nas escrituras.

O capítulo XXIX da confissão trata sobre “Da Ceia do Senhor”, no Evangelho de Mateus no vigésimo sexto capítulo e vigésimo sexto a vigésimo nono versículo, encontramos o registro de Jesus Cristo ministrando a Ceia. O registro mostra que os discípulos estavam comendo, quando Jesus toma o pão e a parte, e o deu a cada um deles dizendo, tomai e comei isto é o meu corpo, em seguida Ele tomou um cálice e tendo dado graças o deu aos seus discípulos. O cálice de vinho representa o sangue de Jesus derramado em favor de muitos para remissão dos pecados.

A Ceia foi instituída por Jesus Cristo, nosso Senhor, encontramos esse fato declarado em três evangelhos, a saber, Mateus 26.26-26; Marcos 14.22-25; Lucas 22.19, 20 e também pelo apóstolo Paulo em sua primeira carta aos Coríntios 11.23-25 e permanece até hoje como um monumento da verdade da história evangélica com a qual está associado.

Esse momento, nós cristão faremos até a volta do nosso Senhor, que voltará para levar todo aquele que nEle crer, e viver para glória do nome do nosso Senhor e Salvador. Participar deste momento é extraordinário, o próprio Cristo Jesus convida a participarmos deste momento tão sublime.

A Ceia do Senhor é uma comemoração a morte de Cristo, a luz do fato de ser o pão um emblema de seu corpo quebrado, e o vinho de seu sangue derramado na cruz por nós, neste sentido comer o pão e de beber o vinho é declarado, tanto por Cristo quando por Paulo, ser feito em memória de Cristo Jesus e de manifestar sua morte até que Ele venha. Isso é um selo do pacto evangélico no qual todos os benefícios do novo pacto estão selados e aplicados aos cristãos.

Participar deste momento traz grande alegria ao coração, o privilégio de olhar para nosso Salvador e entender que a obra que fora feita na Cruz foi perfeita e agradou ao Pai, dando aos cristãos a garantia da salvação, neste sentido nossos pecados do passado, presente e futuro todos foram pagos, pois Cristo assume em nosso lugar a culpa.

A Ceia é muito mais que simples elementos, tem tal profundidade que nos alegramos com a morte e regozijamos com a ressurreição. Fazer parte do momento da Ceia é agradecer ao Senhor por sua obra perfeita. Glória ao nome do Senhor, toda honra, glória e poder, pertence somente a Ele.

Quando estamos em em comunhão com a natureza divina, estamos em comunhão com a pessoa do Filho de Deus em tudo que Ele é. Por ter comunhão com a natureza divina, tenho comunhão não somente com a natureza divina, mas também com a natureza humana, que está em perfeita unidade com a natureza divina, sem haver a natureza humana tomado para si mesma a habilidade de estar em todos estes diferentes lugares. Lembremos: em nenhum momento a natureza humana está separada da natureza divina; por isso, podemos afirmar a unidade das duas naturezas e afirmar a localização da natureza humana sem deificá-la. E a pessoa de Cristo pode estar presente em mais de um lugar, mais do que uma vez, por virtude da onipresença da natureza divina.

Portanto participar da Ceia do Senhor é olhar para Cristo e louvar ao Senhor, agradecidos por fazermos parte do reino do Pai por intermédio de Cristo.

Se você ainda não faz parte deste momento tão sublime, convido você a orar ao Senhor para que Ele conceda-lhe a graça de preparar-se para participar da Ceia do Senhor. Cristo convida você para fazer parte deste momento.

Cristo nos Deus vida, vida em abundância mas apenas para aqueles que estão em Cristo Jesus.

Que o Senhor o abençoe, hoje e para todo sempre.

Amém!

Rev. Cristiam Matos

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.