Buscando a Deus

Blog IPJ (5)

O Salmo 63.1-11 foi escrito, suas palavras indicam que Davi estava sofrendo algum tipo de perseguição por algum inimigo conhecido.

O cenário de produção deste Salmo foi o deserto de Judá, um lugar bastante comum para aqueles que buscavam refúgio de alguma perseguição. É neste lugar que Davi tem a inspiração para buscar a presença de Deus e escrever esta poesia.

O salmista divide esse salmo em três partes, que declara o que Deus é para ele.

Os quatro primeiros versículos Davi declaram que Deus é seu desejo, Davi começa o Salmo dizendo: “Ó Deus, tu és o meu Deus forte”. Há uma comunhão íntima com Deus, a comunhão com Deus era real e pessoal.

Davi estava no deserto e utiliza uma figura bem diante de seus olhos para descrever seu desejo por Deus. Declara ter tanta necessidade de Deus que compara essa necessidade a uma terra seca, árida e sem água. E a razão de sua sede por Deus é que a graça de Deus é melhor do que a própria vida. Davi desejava intensamente ter Deus junto de si, desejava ver a glória de Deus.

O contexto em que o Salmo foi produzido era a dificuldade por causa de alguma perseguição, observe que em meio ao problema, Davi consegue focar sua atenção em Deus, o salmista de forma extraordinária expressa que Deus era seu principal desejo.

Olhando para este contexto, temos uma pergunta para fazer-nos: Qual é o nosso maior desejo? Deus? Buscamos a glória de Deus?

Davi declara: “Porque a tua graça é melhor do que a vida; os meus lábios te louvam.” A partir da declaração, louva e engrandece a Deus por sua graça.

Neste sentido o salmista declara, Deus é meu desejo. Se Deus é o desejo do salmista então, Ele também é sua satisfação. Isso leva-nos a segunda divisão desta reflexão.

Os versículos quintos ao oitavo, encontramos que, Deus é a satisfação do salmista.

A busca mais intensa do ser humano é sua satisfação, sua plenitude de alegria. Em nossos dias, se vende que vale tudo para ter a felicidade completa. Não importa o que eles façam desde que sua busca satisfaça a esse desejo. Infelizmente essa felicidade ensinada, não é a verdadeira felicidade, pois ela o afasta de Deus.

Davi afirma encontrar fartura em Deus, neste sentido, sua sede é satisfeita em Deus, somente em Deus. Acredito que a pergunta que devemos fazer agora é:

O que ou quem pode satisfazer a alma mais faminta?

Com certeza a resposta que encontraremos, conforme o salmista declara, somente em Deus.

Que mudança drástica nas frases, no primeiro versículo encontramos Davi declarando, “a minha alma tem sede de ti”, no quinto versículo ele de forma surpreendente declara, “farta-se a minha alma”. Que declaração extraordinária a plenitude de alegria está em Deus, somente nEle. A angústia pode estar presente, mas o prazer em Deus derruba, suplanta qualquer angústia.

Mesmo em meio a um tipo de problema que não sabemos identificar ao certo, Davi continuava louvando a Deus, “…com júbilo nos lábios, a minha boca te louva.”

Deus era seu auxílio, e mesmo no leito e na insônia durante as vigílias da noite, Davi sentia prazer e alegria em Deus. Somente no Senhor dos senhores, o Rei dos reis, o único Deus.

Não é pecado desejar ser feliz e ter plenitude de satisfação. Pecado é buscar essa plenitude, na forma errada, na condição contrária a escritura, em qualquer lugar que não seja Deus. O apóstolo Paulo escreve aos Filipenses no quarto capítulo; “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos.”

Por tudo o que Deus revela ser em sua Palavra, Ele deve ser a fonte de nossa maior alegria.

Para Davi Deus era seu maior desejo, sua satisfação e sua segurança, pois Ele é a defesa de Davi. Encontramos essa declaração com uma força extraordinária com início no nono versículo e findando no décimo primeiro. Para Davi Deus era sua defesa.

Davi está sendo perseguido enquanto declara satisfazer-se em Deus. Sua convicção repousava nas promessas de Deus em sustentar sua vida e cumprir seus propósitos. Assim, Davi espera Deus lutar por ele e lançar os inimigos nas profundezas da terra.

Os propósitos de Deus na vida de Davi, como ascendente de Jesus Cristo, eram propósitos eternos, razão pela qual lutar contra Davi significava lutar contra os propósitos de Deus. Por isso, Davi possuía tanta convicção de que os planos e as promessas de Deus não poderiam falhar. Davi confiava no Senhor e sabia que Deus o defenderia de quem quer que fosse.

A certeza da palavra imutável de Deus e de Seu perfeito amor a Davi o levou a desejar ao Deus que nunca o desampara, que em meio a adversidade lhe dará plenitude de alegria pois o Senhor o defenderia. A experiência de Davi, também pode ser nossa experiência, pois as promessas eternas de Deus a nosso favor se cumprirão plenamente.

Deus é defesa contra as dificuldades e circunstâncias da vida, e também contra as forças espirituais do mal. Sendo assim todos aqueles que desejarem o mal aos filhos de Deus terão que enfrentar os planos e propósitos de Deus. Neste sentido os propósitos de Deus, jamais se frustrarão.

A luz deste texto faremos três aplicações:

  1. Davi sabia que seu maior desejo estava em Deus. Quem é ou qual é o seu maior desejo?
  2. Entendemos que a satisfação de alegria de Davi, estava no Senhor, que criou o céu e a terra e tudo que existe no planeta, universo e em outros lugares. A plenitude de alegria não será encontrada nos bens materiais, mas sim no Senhor.
  3. Devemos olhar e regozijar-se no Senhor, somente nEle encontramos e depositamos o nosso real desejo, que é de estar nEle. Para aqueles que o busca em real submissão ao Senhor por ser o seu desejo, Ele torna-se a satisfação plena e por fim, nEle encontramos a verdadeira paz, que traz a verdadeira alegria.

Que o Senhor nos abençoe! Louvado seja o Senhor!

Uma boa semana a todos.

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.