Achado em Cristo.

Pastoral (7)

“…e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé” – Fl 3.9

 

Este título parece estranho à primeira vista, mas quero partir do pressuposto de que muitas pessoas estão literalmente “perdidas” de Deus, isto é, longe da sua pessoa e do propósito para o qual foram criadas, apesar de não conseguirem enxergar isto ou aceitar este fato. 

Outra questão é que milhares também estão e permanecem perdidas mesmo quando se esforçam para alcançarem ao Senhor porque confiam em sua própria justiça (méritos); fazem isto porque imaginam que Deus é justo e vai lhes retribuir conforme aquilo que recebeu delas, seja em forma de adoração ou em atenção aos desvalidos feitas em nome do Senhor. 

O apóstolo Paulo escreveu aos Filipenses e lhes revelou suas atitudes que julgava serem “santas, boas e justas”, as quais praticava antes de Cristo, quando orgulhava-se de ser judeu e fariseu (3.5-6) e acreditava piamente que servia a Deus. Ele afirmou que acreditava nisto e julgava que tal atitude era fonte de lucro diante de Deus e dos homens (3.7). Porém, ao encontrar-se com Cristo, sua vida e seus valores foram totalmente modificados porque Jesus tornou-se verdadeiramente o seu Senhor, e por amor dele abriu mão de tudo o que possuía para “ganhar” a Cristo (3.8). Daquele momento em diante, tudo o que verdadeiramente importava para ele era ser “achado” em Jesus, isto é, ser visto pelas pessoas como alguém que estava e permanecia em Cristo. A idéia aqui é de que quando olhassem para sua pessoa e atentassem para seu comportamento e palavras pudessem reconhecer que ele verdadeiramente pertencia ao Senhor. Como as pessoas poderiam reconhecer isto? O sinal distintivo era justamente a justiça que procede da fé – não dos méritos individuais ou coletivos, mas unicamente da pessoa e obra de Cristo. Jesus, na qualidade de cordeiro escolhido de Deus, derramou seu sangue na cruz para satisfazer a justiça que procede do Deus Pai, justiça que somente é entendida e verdadeira quando é baseada unicamente na fé. 

O apóstolo conseguiu alcançar seu objetivo; é impossível não reconhecer, em seus escritos e em sua história de vida, que Cristo era o centro de sua atenção e devoção. Paulo certamente foi “achado” em Cristo, isto é, detectado, descoberto, reconhecido como alguém que estava e permaneceu em Jesus até o fim. 

Como Paulo, eu quero ser “achado” em Jesus. Quero que as pessoas reconheçam em minhas palavras e atos que pertenço ao Senhor e que vejam, mesmo quando passo por tribulações, aflições e angústias, que minha esperança de vida e vida eterna repousa somente em Jesus. 

E você? Quer ser “achado” em Jesus?

Um bom e abençoado dia!

Rev. Joel 

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.