1 João 4.7 a 21 – A jornada do amor

Heart shape of tomb with the cross on meadow sunset background

Amor. Sentimento tão belo e desconhecido que tem sido esvaziado de seu significado (conteúdo) e sua significância (valor) pela falta de conhecimento do que ele realmente é. Por isto ele tem sido confundido com outros sentimentos como a paixão, misericórdia, pena ou dó entre outros. Amor é mais do que um sentimento ou uma ação específica: é uma força imensa capaz de criar e sustentar.

O apóstolo João revela a fonte do amor dizendo que “Deus é amor” (7-8).  Em todo o texto João utiliza o verbo ágape, a palavra grega mais sublime para descrever o amor divinal, e também seus derivativos para expressar a excelência deste amor. Ele chega à conclusão de que somente quem ama verdadeiramente conhece a Deus. Ele parte do pressuposto de que quem ama quer o bem do ser amado (9), e para que isso ocorra não  mede esforços. Deus nos deu o exemplo de amor abnegado, que abre mão de seus direitos para auxiliar aqueles que são objetos de seu amor. Da sua santa morada ele vê a humanidade perdida em seus delitos e pecados, odiando e desprezando uns aos outros. Agem assim por falta de amor e, sem amor, as pessoas estão mortas em vida, isto é, vivem sem sentido, sem esperança, sem alegria duradoura. Todos os prazeres deste mundo são efêmeros e se esvanecem rapidamente porque não existe neles amor. 

Deus resolve revelar seu amor ao mundo através de sua própria encarnação – Jesus Cristo – para trazer vida às almas cansadas, sobrecarregadas de pecados, enfastiado de violência. Só Jesus pode dar alívio ao sofrimento humano, às suas angústias e desesperanças. Só ele pode dar vida e vida em abundância! Nele é revelado o amor sacrificial do Deus que ama concreta e absolutamente (10). Não há nada que se possa fazer para merecer este amor. Não há esforço humano capaz de promover a própria salvação ou quitar a dívida junto à santidade de Deus. Jesus Cristo Deus faz isto graciosa, gratuita, suficiente e amorosamente. O perdão dos nossos pecados não é por mérito ou esforço, mas pela misericórdia de Deus. Só quem sente e compreende o amor de Deus pode agir como ele nos deu o exemplo (11). Quem ama não se importa com a incompreensão, desdém ou até mesmo hostilidade. Quem ama entende o que as outras pessoas carecem porque reconhece nelas a sua própria história antes de conhecer o amor de Deus. Assim, quem ama não se cansa (12) de fazer o bem porque o amor o estimula a perseverar, a permanecer firme, a não desistir. Deus está em sua vida, transformando seu ser completamente, tanto seus pensamentos quanto suas emoções e atitudes. 

A jornada do amor começa, flui e termina em Deus. É o amor que tem o poder de tornar alguém semelhante a Deus; é o poder do amor aperfeiçoa nossa vida dia a dia para comprovarmos sua ação transformadora em nós e recebermos a justificação no dia do Juízo (17).  Quando amamos a Deus e sentimos o seu amor, temos confiança e paz de espírito (18-19). 

Vamos nos aventurar na jornada do amor?

Um bom e abençoado dia.

Rev. Joel

A Agenda para 2020 está quase pronta!

Em Fevereiro todos os eventos já estarão agendados e você poderá visualizar por aqui.